Receba nossa newsletter e fique por

dentro das dicas e novidades da clinica Len   

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Ícone

desenvolvido por @onebranding

Intolerância à Lactose e Alergia à Proteína do Leite de Vaca 

A intolerância à lactose (IL) e alergia à proteína do leite de vaca (APLV) são duas doenças distintas, mas que tem muitos sintomas em comum. 

Intolerar a lactose (IL) significa ter alguma dificuldade na digestão da lactose, que é o carboidrato do leite (de vaca, de cabra, materno). Não é comum em crianças - aparece mais EM ADULTOS... Nas crianças, o que vemos é intolerância temporária à lactose após uma diarreia forte. Dura uma ou duas semanas, e a função gastrointestinal se normaliza por completo. Em alguns casos, a IL aparece sem motivos, nos primeiros anos de vida. Temos alguns pacientes portadores de IL "crônica". Eles tem, em geral, muitas dores de barriga, náuseas, episódios diarreicos.

O tratamento da intolerância à lactose é a retirada da lactose da alimentação. Como todos os leites (vaca, cabra...) e derivados de leite contém lactose, a solução são os leites à base de soja ou os leites com baixo teor de lactose ou isentos de lactose. Para os casos crônicos, existem os comprimidos de lactase (a enzima que digere a lactose), atualmente à venda no Brasil. Muitos intolerantes à lactose conseguem tomar pequenas quantidades de leite e seus derivados. 

Já a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é uma condição comum nos bebês, mesmo aqueles amamentados exclusivamente ao seio, e pode durar toda a infância. É rara nos adultos. As mães nutrizes, mando ingerem leite de vaca e seus derivados, produzem leite com estas proteínas - que podem causar alergia nos recém-nascidos.

 

Os sintomas nos bebês são as cólicas fortes, refluxo, obstipação intestinal, sangramento intestinal, eczemas de pele e até distúrbios respiratórios, como tosse, chiado . O tratamento é a isenção de 100% do leite de vaca/derivados que a mãe nutriz ingere ou a retirada de 100% do leite de vaca da dieta das crianças. Alguns se beneficiam com fórmulas de soja, mas a alergia cruzada (à soja também) é comum. Existem fórmulas especiais, como o Pregomin Pepti®, Alfaré® e Neocate®, feitas especialmente para estas crianças. São fórmulas caras mas que atualmente são fornecidas pelo Governo.

O leite de cabra não é uma boa opção, por conter proteínas semelhantes à de vaca e por ser paupérrimo em diversos nutrientes. 

O diagnóstico para as duas condições, IL e APLV, é basicamente clínico - mas alguns exames laboratoriais eventualmente são solicitados. Fazemos as "provas terapêuticas", trocas de leites, testes cutâneos. A história familiar é importante.