Receba nossa newsletter e fique por

dentro das dicas e novidades da clinica Len   

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Ícone

desenvolvido por @onebranding

Erupção Dentária - Dentes de Leite

A erupção dos primeiros dentes da criança, também chamados de ‘dentes de leite’ ou ‘decíduos’ pode começar a partir do 4° mês de vida, acontecendo com maior freqüência ao redor do 8° mês.

Aos 2 anos de idade a dentição de leite geralmente está completa, com um total de 20 dentes, sendo 10 na arcada inferior e 10 na superior.

A ordem e idade de erupção dos decíduos na maioria dos casos é assim:


Muitas vezes existem variações nesta ordem, podendo haver erupção de dentes superiores antes dos inferiores, bem como de incisivos laterais antes dos centrais. Não há qualquer problema nestas variações.
Os atrasos na erupção do primeiro dente e dos seguintes devem ser avaliados caso a caso. Até os 14 meses de vida pode ser normal a ausência dos dentes. Na maior parte das vezes, não há problemas. Mas em alguns casos, raros, há uma necessidade de avaliação específica (como na fibrose de gengiva e anodontia congênita).

A erupção dentária pode causar diversos sintomas, variando muito a cada criança. Os mais comuns são:
 

  • Salivação excessiva

  • Alterações no humor (irritabilidade)

  • Alterações no sono diurno e noturno

  • Fezes mais moles e ácidas (causando assaduras)

  • Inapetência

  • Coriza

  • Hematoma na gengiva (principalmente nos molares)

  • Aumento da temperatura corpórea (abaixo dos 38°C)

 

Mordedores de borracha ou plástico, cremes anestésicos próprios para a erupção dentária,   analgésicos ou medicamentos fitoterápicos muitas vezes são indicados para atenuar estes sintomas e deixar a criança mais tranquila.

 

ESCOVAÇÃO

 

Desde o início da dentição é muito importante a limpeza, uma ou mais vezes ao dia, dependendo do tipo de alimentação. No início a criança pode rejeitar a escovação, mas é um hábito que deve ser colocado no dia a dia e se tornar uma obrigação, como o banho, por exemplo.
Inicialmente a higiene deve ser feita com gase (enrolada no dedo) ou escova-dedeira com água. Posteriormente pode-se usar escovas de dente (macias) com pasta de dente sem flúor. A criança deve ser estimulada a escovar os dentes sozinha assim que tenha capacidade, mas até os 7 anos a responsabilidade de escovação é dos pais. 
Para os menores de 6 anos, recomenda-se o uso de pequenas quantidades da pasta de dente. Os dentifrícios com flúor devem ser usados em mínimas quantidades a partir de um ano. Não existe pasta de dente tóxica.

 

FLÚOR

 

O flúor é fundamental para a proteção e mineralização dos dentes. Na maioria das cidades brasileiras a água potável que abastece as casas é fluoretada, e não há necessidade de suplementação.
Em alguns casos, porém, dependendo da avaliação do odontopediatra, pode haver necessidade de complementação de flúor por via oral ou aplicação tópica.
O excesso de flúor, presente em vitaminas, pastas de dente e soluções tópicas também pode ser prejudicial.

 

ANTIBIÓTICOS

 

Os antibióticos modernos usados em pediatria não causam qualquer alteração nos dentes. Não há risco de mudança na coloração e não há alterações na mineralização.
Alguns antibióticos (que não são usados em crianças), porém, podem causar alterações nos dentes, e mesmo se usados por mulheres grávidas podem alterar a dentição no bebê.
Por este motivo a automedicação deve ser evitada e o uso de medicamentos em grávidas, nutrizes e crianças deve ser muito bem indicado.