Receba nossa newsletter e fique por

dentro das dicas e novidades da clinica Len   

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Ícone

desenvolvido por @onebranding

Convulsão Febril

A convulsão febril simples é uma doença que assusta a grande maioria das mães e pais, apesar de sua baixa incidência. Ainda que seja muito temida, é bastante rara e também benigna, não trazendo quaisquer complicações neurológicas a longo prazo.        

Idade - A convulsão febril (CF) pode ocorrer em crianças entre os 6 meses e 5 anos de idade, mas a maioria dos casos a CF ocorre até os 2 anos de idade.

 

Frequência - A porcentagem de crianças que vão ter uma CF é em torno de 2 %. Existe característica hereditária nas convulsões febris, como casos na família (pais, tios, primos).

 

Causas - A convulsão febril é causada única e exclusivamente por causa da FEBRE, ou seja, não há relação com qualquer doença neurológica - como as meningites ou epilepsia. A causa, na verdade, é o aumento rápido da temperatura - dos 36,5° C para os 38,5° C em poucos minutos.

 

Qual temperatura? A temperatura em que a CF ocorre é em torno dos 38,5° C. Temperatura mais altas (como 40° C) mantidas por várias horas não causam convulsão febril.

 

As doenças febris que mais comumente se relacionam com as convulsões são aquelas das vias aéreas superiores, que sempre causam febres que sobem rapidamente: faringites, amigdalites, otites - e também as doenças infantis virais, como o exantema súbito (ou roséola). Pneumonias e infecções urinárias também tem relação com a convulsão febril.

 

Como é a convulsão? A convulsão febril normalmente é "tônico-clônica generalizada", ou seja, todos os músculos da criança tem uma movimentação cíclica ao mesmo tempo. Acriança tem perda transitória de consciência, na maior parte das vezes. Tem início súbito e duração máxima de 15 minutos na maioria dos casos. Porém da maioria das vezes dura cerca de 3 minutos. Quando temos uma convulsão febril que dura mais de 15 minutos, o que é muito raro, chamamos de convulsão febril complexa, e uma avaliação por neurologista é sempre indicada, desde a primeira convulsão.

 

O que fazer?  

Em primeiro lugar, mantenha a criança em algum lugar seguro, aonde não tenha risco de se machucar (no colo, por exemplo). Retirar da boca da criança qualquer coisa que ela esteja mastigando (tipo: bolachas, balas) ou chupetas. Caso se note que a criança está com febre (na maioria das vezes a os pais não percebem a febre devido a todo o estresse do momento) pode-se colocar um supositório infantil antitérmico à base de dipirona (o único disponível no Brasil) . Um banho morno seria indicado, mas é difícil ser dado na criança em convulsão.

 

A criança deve ser levada a um pronto-socorro para uma completa avaliação do quadro: se a convulsão é exclusivamente febril, se não há outras doenças associadas.  DEVE-SE DIGIGIR AO PRONTO-SOCORRO COM CALMA E CUIDADO. Existem estatísticas mostrando que o índice de acidentes de trânsito é muito grande quando os pais levam em emergência os filhos ao pronto-socorro.

 

No pronto-socorro a criança geralmente chega após a convulsão ter terminado. Caso a criança chegue ao PS convulsionando, a equipe médica vai tomar as condutas necessárias. Sempre é realizado um exame físico completo para se achar a causa infecciosa da convulsão febril e, se necessário, são feitos exames laboratoriais para afastar possíveis complicações: hemograma, tomografia, líquor.

 

Caso se chegue a conclusão que houve uma CONVULSÃO FEBRIL simples, a criança não necessita internação. Deve ser medicada para a causa da febre: antibióticos e antitérmicos, se necessário.

 

Recorrência - Mesmo sem usar remédios anticonvulsivantes, o risco de uma criança ter uma segunda CF é baixo:  só 25 a 30 % das crianças que tiveram uma CF vão ter a segunda.

 

Tratamento a longo prazo - Atualmente, não são utilizados remédios a longo prazo para as crianças que tiveram uma só convulsão febril ou mesmo convulsões febris simples de repetição. Caso a convulsão febril se repita, deve haver uma investigação mais completa por um neurologista.

 

Importante - Existe uma reação que ocorre logo antes de um quadro de febre alta, que é a viremia ou bacteremia, muitas vezes confundidas com a convulsão febril. Nestes casos, as crianças ficam pálidas, com os lábios e extremidades mais arroxeados (cianose), e também leves tremores em extremidades. Em poucos minutos vem a febre alta, e estes sintomas desaparecem - permanecendo só a febre, que deve ser medicada normalmente.

 

Texto: Jairo Len