Receba nossa newsletter e fique por

dentro das dicas e novidades da clinica Len   

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Ícone

desenvolvido por @onebranding

Adenoide

A adenóide ou tonsila faríngea é um pequeno tecido linfóide (de defesa) localizado na parte posterior da faringe, conforme se pode observar na figura abaixo.

 

A adenóide, popularmente conhecida como ‘carne esponjosa’, existe desde o nascimento da criança, mas seu aumento se dá a partir do primeiro ano de vida.
Apesar de ser um tecido linfóide, ou seja, de produção de células de defesa, a adenóide não é um órgão vital. 

Em crianças alérgicas ou com infecções de vias aéreas superiores repetição, muitas vezes a adenóide aumenta de tamanho de forma anormal.

Este aumento pode causar diversos transtornos. O aumento da adenóide pode trazer problemas no ouvido, pois esta hipertrofia obstrui as tubas auditivas, favorecendo a retenção de secreção no ouvido médio e causando a ‘otite secretora’ e as otites médias de repetição. 
O ar que respiramos pelo nariz passa, entre outras estruturas, pela adenóide. Quando a criança tem um aumento muito grande da adenóide - como observamos na figura abaixo - o ar tem dificuldades de passar e a criança é forçada e respirar pela boca (respiração oral):

 

A respiração oral pode causar problemas como roncos noturnos e diurnos, apnéia noturna, problemas na oclusão dos dentes, dificuldades na linguagem, infecções de vias aéreas, dermatite ao redor dos lábios, entre outros.
No exame clínico habitual, a adenóide NÃO é visível, nem se estiver aumentada. Quando há uma suspeita da hipertrofia, pode-se optar por dois métodos diagnósticos:

 

-Raio-X lateral da cabeça (RX de cavum)

 

-Nasofibroscopia, um exame realizado pelo otorrinolaringologista que visualiza a adenóide através de um endoscópio introduzido pelo nariz.

 

A escolha do método diagnóstico depende muito de fatores como idade da criança e seu temperamento (em permitir a realização da nasofibroscopia).

 

Uma vez que é diagnosticada a hipertrofia da adenóide, o passo seguinte é iniciar o tratamento. Inicialmente é proposto um tratamento clínico, à base de medidas antialérgicas ambientais, antialérgicos e antibióticos, dependendo de cada caso. Quando o tratamento clínico não apresenta resultados satisfatórios e o aumento da adenóide é importante, indica-se a cirurgia para a retirada do tecido, chamada adenoidectomia. A adenoidectomia é uma cirurgia simples, realizada sempre com anestesia geral. A recuperação da criança é muito rápida, geralmente tendo alta hospitalar no mesmo dia do procedimento. São recomendados um repouso e dieta mais pastosa por alguns dias.

 

Os resultados da adenoidectomia são imediatos.