Receba nossa newsletter e fique por

dentro das dicas e novidades da clinica Len   

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Ícone

desenvolvido por @onebranding

Alimentos e a coloração
amarelada na pele (CAROTENOSE)

A fonte de vitamina A nos seres humanos é a ingestão de alimentos que contenham CAROTENO (ou a-caroteno, ß-caroteno, licopeno, bixina, equinenona). O CAROTENO é uma substância pigmentada que será transformada no nosso organismo em vitamina A. A vitamina A é fundamental ao homem e sua deficiência pode levar à cegueira e problemas na pele. 

Frequentemente as mães questionam o pediatra sobre uma 'coloração amarelada' na pele do seu filho, principalmente nas extremidades - nariz, orelhas, mãos.

Excluindo as doenças que causam coloração amarelada na pele (como a hepatite e icterícia) o diagnóstico mais comum é a CAROTENOSE, um acúmulo destas substâncias precursoras da Vitamina A, que são pigmentados e causam uma tonalidade amarelada na pele quando ingeridas pela crianças em grandes quantidades.

Como exemplo de alimentos que contenham caroteno podemos citar:

 

- Abóbora, cenoura, pimenta, moranga (ß caroteno)
- Espinafre, agrião, couve, hortelã, caqui
- Fígado, gema de ovo, margarina vegetal, manteiga, leite, queijos
- Tomate (licopeno)

 

Estes alimentos são ricos em caroteno. O caroteno vai ser transformado, de acordo com a necessidade e de forma limitada, em Vitamina A. Mesmo quando o caroteno for ingerido em grandes quantidades, ele NÃO SE TRANSFORMARÁ EM EXCESSO DE VITAMINA A, pois o organismo da criança não tem capacidade nem interesse nesta transformação. Desta forma, a pigmentação amarelada causada na pele não tem relação com a hipervitaminose A ou com qualquer outro distúrbio.

Os CAROTENOS são pigmentos que também estão presentes em outros alimentos e nem sempre os CAROTENOS vão se transformar em vitamina A, como é o caso do tomate e dos sucos cítricos. A exposição ao sol não tem qualquer relação com a conversão dos carotenos em vitamina A, mas pode melhorar a tonalidade amarelada da pele da criança.

Por outro lado, se a criança ingerir a Vitamina A diretamente, em geral sob a forma de poli-vitamínicos, ela pode desenvolver a hipervitaminose A. Em adultos, o risco da hipervitaminose A é causado pela ingestão acentuada de Vitamina A em fórmulas para a pele e complementos alimentares.

A vitamina A é muito importante para o nosso organismo e o consumo de alimentos ricos em caroteno (que se transformarão em vitamina A) deve sempre ser estimulado.

Diversos estudos nacionais e internacionais já comprovaram que o excesso de caroteno (e a tonalidade amarelada na pele) não acarreta nenhum problema para a criança.

A diminuição da ingestão destes alimentos reduz a tonalidade amarelada da pele, MAS NÃO HÁ NECESSIDADE de ser feita uma vez que não causa qualquer distúrbio na criança.